João Laia

1981 · Lisboa

João Laia é curador e escritor, com formação nas áreas das ciências sociais, da teoria cinematográfica e da arte contemporânea. Os seus projetos exploram as relações intrínsecas entre pensamento filosófico, estruturas sociais, tecnologia e representação. Entre as exposições recentes que comissariou contam-se: H Y P E R C O N N E C T E D (2016), no MMOMA — Museu de Arte Moderna de Moscovo, um projeto estratégico da V Bienal Internacional de Arte Jovem de Moscovo; e Hybridize or Disappear (2015) no MNAC — Museu Nacional de Arte Contemporânea, Lisboa, e nos Paços do Concelho, Porto. Laia frequentou o CuratorLab na Konstfack, Estocolmo, um programa de pós-graduação e de investigação autodirigida, e a residência de curadoria da Fondazione Sandretto Re Rebaudengo, em Turim. Diversas exposições, eventos e programas de performance de sua concepção foram apresentados em: Videoex, Zurique; Parque Lage, Rio de Janeiro; Moderna Museet, Estocolmo; Galeria Jaqueline Martins, São Paulo; Fundação Calouste Gulbenkian e MAAT, ambos em Lisboa; e nas seguintes instituições londrinas: DRAF — David Roberts Art Foundation, Delfina Foundation, South London Gallery e Whitechapel Gallery. Atualmente Laia colabora com algumas feiras de arte na curadoria de diferentes secções, como: Opening na ARCO Lisboa, Future Present na Artissima e Live na DAMA, ambas em Turim. Laia faz parte da equipa curatorial de Videobrasil, um festival de arte contemporânea que se realiza cada dois anos dedicado aos países do Sul Global, sediado no SESC Pompeia, São Paulo.João Laia é colaborador regular da Mousse Magazine e escreveu para outras publicações como Frieze, Spike Art Quarterly, Flash Art ou Terremoto. Enquanto editor está correntemente a trabalhar numa monografia de Daniel Steegmann Mangrané e num levantamento de cosmologias não-ocidentais, a publicar proximamente.